dermamelan®

option image

dermamelan®

o método despigmentante médico-estético de referência a nível mundial

dermamelan® é um método despigmentante médico com contrastada eficácia no tratamento das hiperpigmentações cutâneas mais severas e resistentes. Uma dupla ação permite corrigir as hiperpigmentações visíveis e regular a sobreprodução de melanina para oferecer um resultado a curto e longo prazo.

Inúmeros estudos clínicos e milhares de pacientes e especialistas a nível mundial avalizam a eficácia e segurança de dermamelan® no tratamento de qualquer tipo de hiperpigmentações e fotótipos cutâneos.

Aspetos científicos da despigmentação cutânea


MÉLANOGÉNÈSE : ORIGEM DA PIGMENTAÇÃO DA PELE

A melanogénese é o mecanismo combinado de fatores físicos, bioquímicos e morfológicos da pele, para proteger contra a ação das radiações solares. Consiste na produção de melanina no interior do melanócito; célula situada na camada basal da epiderme que atua como barreira fotoprotetora.

A matéria-prima para produzir a melanina é um aminoácido chamado tirosina que chega aos melanossomas por um processo de difusão através da sintetização prévia por degradação da fenilalanina. Por sua vez, nos melanossomas encontra-se a tirosinase, uma enzima fundamental no processo da melanogénese, que na presença do oxigénio e da própria tirosina, inicia um processo de oxidações através das quais, a tirosina se transforma em DOPA e esta por sua vez se transforma em dopaquinona. Finalmente a dopaquinona converte-se em eumelanina ou feomelanina, dependendo da raça, caraterísticas genéticas e topografia corporal da pele.

Uma vez que se fabricou a melanina dentro dos melanossomas, estes são exportados através de ramificações dendríticas dos melanócitos, aos queratinócitos. Nos queratinócitos rompem-se as membranas dos melanossomas e a melanina distribui-se dentro destas células protegendo o DNA celular das radiações ultravioleta.

Os queratinócitos exibem um processo contínuo de diferenciação e emigração pelas diferentes camadas da epiderme até chegar ao estrato córneo, que termina na sua transformação em corneócitos; células queratinizadas que contêm melaninas e formam o estrato córneo. O processo de descamação e renovação contínuo que os corneócitos da pele experimentam é o sistema natural de renovação celular e a via de eliminação para as melaninas.

MELANINAS: A QUANTIA E O TIPO DETERMINAM O FOTÓTIPO DE PELE

Os melanócitos sintetizam simultaneamente 2 tipos de melanina. No entanto, certos fatores genéticos dão predomínio a uma ou a outra via, o que determina em grande parte a cor da pele.

  • Eumelaninas: Biopolímeros de cor preta ou castanha. Responsáveis pelas colorações mais escuras. Maior ação protetora contra as radiações ultravioleta.
  • Feomelaninas: Biopolímeros de cor avermelhada ou amarelada. Responsáveis pelas colorações claras. Menor ação protetora contra as radiações ultravioleta

A COR DA PELE HUMANA: OS FOTÓTIPOS DE PELE

O dermatologista norte-americano Dr. T. Fitzpatrick estabeleceu uma classificação do tipo de pele baseado na quantidade e no tipo de melaninas produzidas. É a referência utilizada atualmente a nível internacional.

TRANSTORNOS DA PIGMENTAÇÃO MEL NICA

A melanogénese é influenciada por fatores exógenos e endógenos, que podem conduzir a uma sobreprodução de melaninas de forma localizada. Este excesso de melanina traduz-se em manchas melânicas inestéticas, na maioria dos casos, sem transcendência patológica. São as manchas da pele adquiridas, diferentes das de origem genética.

  • Leucodermias ou hipomelanose: vitiligo e manchas brancas.
  • Melanodermias ou hipermelanose: Lentigo, sardas, nevo.
  • O melasma
  • Sardas ou efélides
  • Lentigo juvenil
  • Lentigo senil
  • Hiperpigmentação pós-inflamatória

Método dermamelan®


É um tratamento para o branqueamento tópico profissional versátil de fácil execução, que se adapta a qualquer fotótipo de pele. Proporciona como resultado a diminuição e a erradicação de manchas cutâneas adquiridas de origem melânica, ao mesmo tempo que aumenta a luminosidade da pele e uniformiza o tom.

FASES DO TRATAMENTO

Fase 1: despigmentação intensiva

A mancha atenua-se de forma superficial enquanto se estimula a renovação das primeiras camadas da pele, melhorando, assim, o seu aspeto e a sua textura.

Fase 2 despigmentação contínua

É necessário completar a ação corretiva do método e regular a sobreprodução de melanina, pigmento que dá a coloração à mancha. Para manter o melanócito, célula onde se produz a melanina, sob controlo, começamos com a aplicação diária de dermamelan treatment juntamente com melan recovery e melan 130+ pigment control.

Fase 3: regulação da hiperpigmentação

Continuamos a atuar sobre a origem do problema: a sobreprodução do pigmento de forma localizada. Por isso, devemos regular a sobreprodução de melanina para evitar que as manchas reapareçam e unificar o tom da pele pouco a pouco.

Fase 4: regulação da hiperpigmentação

Nesta fase, previne-se o reaparecimento das mnchas tratadas e a formação de novas manchas, prolongando o resultado do método durante mais tempo, pois a predisposição para desenvolver manchas é um risco potencial para a sua pele.

Acción sinérgica


A acción sinérgica de todos os produtos do método garante:

  • Maior eficácia despigmentante
  • Maior conforto durante o tratamento
  • Menor risco de repigmentação

Resultados do tratamento


Depois
Antes Antes
Depois
Redução da hiperpigmentação e melhora da textura e aspecto da pele - Melasma (fototipo I-III)
Depois
Antes Antes
Depois
Redução da hiperpigmentação e melhora da textura e aspecto da pele - Melasma (fototipo I-III)
Todos os produtos
  1. home pack

    Pack domiciliário do método dermamelan®. Contém os produtos para seguir a pauta domiciliária do m...

    Ver mais
  2. treatment

    Creme despigmentante. Tratamento domiciliário complementar a dermamelan® para uso médico.

    Ver mais
  3. tratamiento médico despigmentante

    Método de despigmentação tópico para aplicação médica no tratamento de manchas cutâneas melânicas.

    Ver mais